Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Postalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

Ajuda Timing Light

Tópico em 'Ajuda no Restauro e Manutenção' iniciado por Bruno Mateus, 21 Ago 2012.

Tópico em 'Ajuda no Restauro e Manutenção' iniciado por Bruno Mateus, 21 Ago 2012.

  1. Preciso da vossa ajuda...
    Foi-me oferecida uma luz para afinação de tempo de ignição por um familiar já idoso.
    As ligações parecem ser para ligar em substituição de um cabo de vela (distribuidor> Luz> vela), é possível?
    As que tenho visto costumam ter alimentação directa da bateria e uma ligação ao cabo de vela (semelhante aos conta rotações electrónicos).
    Quero saber ao certo antes de a ligar para não haver o risco de a estoirar.

    A minha é não indutiva, pelo que devo ligar como a cima referi, certo?

    Agradeço a quem me saiba ajudar!
     
  2. Bruno mete uma foto do equipamento, para ser mais fácil de identificar.
     
    Bruno Mateus gostou disto.
  3. Logo que possa tirarei! Obrigado!
    Já estive a ler umas coisas e dizem que estas já não se usam, que se pode levar choque, as indutivas são mais seguras!
     
  4. Antigamente havia umas que se ligavam na vela e depois o cachimbo ia ligar nessa peça, o teu é desses, mais tarde esse sistema foi trocado por outra género "garra".

    Podes usar à vontade, mas para a ligares certefica-te que o motor não está a trabalhar... :lol:

    Abraço.
     
    Pedro A. Soares e Bruno Mateus gostaram disto.
  5. Exacto! Então ligo-o em série com o cabo da vela do 1º cilindro? E ligo o motor depois, certo?
    Qual a desvantagem destas em relação às mais modernas?
     
  6. Exatamente, desvantagens não encontro nenhuma, tenho as duas e é a mesma coisa...
     
    Bruno Mateus gostou disto.
  7. Ok, obrigado!
    Isto de sermos nós a fazermos as coisas dá muito mais gozo!
     
    Pedro A. Soares gostou disto.
  8. Bruno, de qualquer das maneiras, mete uma foto, pois não me lembro de ver este sistema e fiquei curioso.
     
    Bruno Mateus gostou disto.
  9. Claro, amanhã tiro foto!
     
    Pedro A. Soares gostou disto.
  10. Como prometido aqui estão as fotos!
     

    Ficheiros Anexados:

    Pedro A. Soares gostou disto.
  11. Obrigado Bruno.

    Desconhecia por completo este sistema de ligar à vela. Os mais recentes são bem mais praticos.

    Já conseguiste pô-lo a funcionar?
     
  12. Ainda não. Não tenho tido muito tempo para estar em casa.
    Quando experimentar posto aqui qualquer coisa!
     
  13. ok.

    Depois dá algum feedback.

    Abraço,
     
  14. Exactamente, o sistema é essencialmente o mesmo, salvo a questão de os modernos trabalharem por indução com a garra que envolve o cabo. Este fica ligado em série no cabo da vela do primeiro cilindro. De resto o funcionamento é o mesmo.

    As ligações devem obviamente ser todas feitas com o motor desligado, porque a descarga de uma vela, mesmo num sistema de platinados já cansado, ronda os 10,000 V... mas de resto é a simplicidade em pessoa. Verifica onde estão as marcas de referência do motor, certifica-te de qual é a que precisas, e experimenta.

    Um abraço!
     
  15. Obrigado! Vou ver se o faço este fim de semana e depois informo... Já agora no Manual Haynes diz que o meu motor deve estar entre 6 e 8 BTDC (Before Top Dead Centre = Antes do Ponto Morto Superior), alguém sabe o porquê deste intervalo? Para a versão 2000 indicam só um valor por exemplo.

    Obrigado!
     
  16. Antigamente a qualidade da gasolina era bastante variável, pelo que a maioria dos motores tinha alguma flexibilidade de afinação consoante este critério. Muitos tinham mesmo um avanço regulável manualmente para compensar estas variações, era algo comum até finais da década de 60 pelo menos. Era o tempo da gasolina normal e super, e a diferença notava-se. Daí ter de haver alguma capacidade de adequar o motor a cada uma.

    Podes afinar o motor pelo avanço máximo, ou seja, pelos 8 graus, sem qualquer problema, mesmo com a 95. Nalguns casos dá mesmo para avançar ainda mais, o meu Spider neste momento está com um avanço estático na ordem dos 13º. Mas começa por ajustar a 8, e logo vês o resultado.

    Um abraço!
     
  17. Obrigado pela explicação!
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página