Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

A DESCOBERTA DE UMA PAIXÃO Saches Fuego

Tópico em 'Motos e Motorizadas' iniciado por Hélder J. Freitas, 7 Nov 2011.

Tópico em 'Motos e Motorizadas' iniciado por Hélder J. Freitas, 7 Nov 2011.

  1. A DESCOBERTA DE UMA PAIXÃO Sachs fuego

    A DESCOBERTA DE UMA PAIXÃO


    Em Setembro de 2008 ao limpar a cave, arrumos da minha casa, olhei para uma motorizada velha que tinha encostada a uma parede húmida, tratava-se da minha sachs fuego que o meu pai me comprou quando eu tinha 14 anos de idade, foi uma oferta como que um prémio motivante por eu estar a trabalhar com ele na pintura de construção civil à um ano. Esta motorizada de 49cc foi adquirida nova, em Agosto de 2001, dois anos ainda antes de eu ter licença de condução, período este que infringi a lei algumas muitas vezes ao conduzi-la sem carta.
    Por ter a minha primeira moto a apodrecer naquele sítio, e o espírito do momento era de limpar o arrumos, livrar-me de coisas que já não me serviam para nada e ganhar espaço para colocar outras que para nada serviam, politica de quem tem espaço a mais e tem a mania de guardar tudo, tive de tomar uma decisão, ou me livrava daquele ferro velho despachando-o para um sucateiro ou perdia algumas horas e algum dinheiro a repara-la de forma a deixar pronta a andar e com um aspecto digno de a guardar na minha garagem.
    A decisão não foi dificil, era a minha moto, a minha primeira e única moto, serviu-me 4 anos, até adquirir carta de condução de automóveis e o primeiro carro foi o meu meio de transporte diário, único e alternativo, havia uma ligação estimável entre mim e aquele veículo desprezado há anos naquela câmara de apodrecimento. Numa decisão rápida tirei-a cá para fora, lavei-a com a máquina de pressão de água e iniciei de imediato os trabalhos de recuperação.
    Estava uma lastima, tive de comprar uma lista infindável de peças, passei horas a limpar ferrugem, a procurar a forma mais barata e menos trabalhosa de resolver cada avaria, cada peça partida, consumida pela ferrugem, desgastada e estúpidas alterações que se foram fazendo ao longo do tempo, peças improvisadas que não eram de origem, e que o meu sentimento era único, queria coloca-la igualzinha ao que ela era no dia em que a comprei.
    Entusiasmei-me com o trabalho, cada hora que passei a fazer aquilo foi um prazer, até ter a moto pintada e quase montada, foi um gosto tão grande que jurei repetir e me fez olhar à volta e apreciar o trabalho de entusiastas de motos clássicas que conhecia. Foi aqui que tomei o gosto pela paixão que é ter um veículo de estimação, algo a que não se atribui um preço monetário, a envolvência de uma reparação total e tão desafiante que se torna agridoce e com vontade de nunca mais parar de repetir
     

    Ficheiros Anexados:

  2. parabens, tem uma grande maquina com um enorme valor sentimental, que é o que nos faz ligar a estas maquinas!
     
  3. realmente era pena deixar essa mota na cave a degradar-se, bom restauro
     
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página