Bem-vindo/a ao Portal Classicos

O Portal dos Clássicos é um sítio português dedicado aos veículos clássicos com interesse histórico. Temos como objectivos juntar a comunidade de entusiastas e prestar auxílio a todos os que pretendem adquirir, restaurar, conservar e manter veículos antigos. O que espera para se juntar à família?

Welcome to Portal Classicos, the biggest Portuguese community about historic vehicles! Change language here.

  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar você estará de acordo com a nossa utilização de cookies. Saber Mais.
  2. Portalistas, o Portal dos Clássicos está no no Drivetribe, a rede social automotiva do trio May-Clarkson-Hammond! Junte-se à nossa Tribo
    Fechar Aviso

100 anos BMW: Marketing duvidoso ou verdade?

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Pedro Pereira Marques, 22 Abr 2016.

Tópico em 'O nosso hobby: Clássicos' iniciado por Pedro Pereira Marques, 22 Abr 2016.

  1. Até a Mercedes já veio gozar com esta "celebração" e de facto existem algumas reservas no que toca á idade desta marca automóvel. Gostaria de saber as vossas opiniões, fundamentadas.

    No que me diz respeito, acho que a Bmw (mais conhecida como Bê Eme) fez o seu primeiro carro algures por 1927 ou 1928... se assim for só faz 100 anos daqui a 11 ou 12 anos.

    BMW – Wikipédia, a enciclopédia livre
     
    #1 Pedro Pereira Marques, 22 Abr 2016
    Última edição: 22 Abr 2016
  2. Tinha escrito um artigo sobre a BMW mas estava a descortinar sobre a dúvida que colocas.
    Começaram por produzir motores para aviões em 1917...
     
    Pedro Pereira Marques gostou disto.
  3. Uma coisa é o centenário da existência da marca, outra coisa é o centenário do primeiro carro construído que será daqui por 11 ou 12 anos, depende do ponto de vista!
     
    Pedro Pereira Marques gostou disto.
  4. As raízes da BMW estão ligadas a Karl Rapp e Gustav Otto. Em 1917, a empresa Rapp Motorenwerke tornou-se a Bayerische Motoren Werke GmbH, a qual foi convertida em AG em 1918. Em 1916, a empresa Flugmaschinenfabrik Gustav Otto foi incorporada à Bayerische Flugzeug-Werke AG (BFW) a pedido do governo. A BMW AG, em 1922, transferiu as suas operações de construção de motores – incluindo a empresa e os nomes da marca – para a BFW. A data de fundação da BFW, 6 de março de 1916, entrou para a história como a data de nascimento da Bayerische Motoren Werke AG.

    Inicialmente a Bayerische Motoren Werke AG foi fundada com o intuito de produzir motores para aviões, mas após a Primeira Guerra Mundial, devido ao Tratado de Versailles, foi proibida de construí-los. Por esse motivo chegou a produzir motocicletas, e mais tarde dedicou-se à fabricação de automóveis. Até há pouco tempo a própria BMW dizia que o seu símbolo representa uma hélice de avião a girar juntamente com o símbolo da Baviera, mas em descobertas recentes, a BMW alterou a sua versão sendo o azul/branco proveniente de uma antiga bandeira da Baviera. O símbolo BMW foi estampado na carroceria de um carro pela primeira vez em 1928.

    Heinrich Ehrhardt fundou a Fahrzeugfabrik Eisenach (FFE) em Eisenach em 3 Dezembro de 1896. Inicialmente ele produziu bicicletas e armas, mas passados dois anos começou a produzir um carro a que chamou Wartburg sob licença da marca francesa Decauville. Esta companhia foi a terceira a fabricar carros na Alemanha depois da Daimler e da Benz tornando-se uma das maiores da Turingia.

    Em 1903 a família Ehrhardt abandonou a administração da fábrica devido a perdas financeiras e porque a licença para produzir carros Decauville foi revogada. A fábrica começou a produzir veículos sob o nome Dixi em 1904.

    Durante a 1ª Guerra Mundial a companhia produziu camiões e armas. Como resultado da derrota da Alemanha e das reparações de guerra que teve de pagar foi forçada a fundir-se com a Gothaer Waggonfabrik AG em 1919. Outra consequência da crise económica instalada foi a necessidade de começar a produzir carros pequenos, para o que foi celebrado um acordo com a Austin para fabricar sob licença o modelo Seven em 1927, o Dixi DA-1 3/15.

    Em Novembro de 1928 a BMW comprou a Fahrzeugfabrik Eisenach A.G. ("Dixi") pondo fim à existência da Dixi como marca independente e a fábrica de Eisenach tornou-se o local de nascimento do ramo automóvel da BMW. O Dixi continuou brevemente como o BMW-Dixi mas a rebatizada BMW-Factory Eisenach cedo começou a fazer uma versão melhorada do carro chamando-lhe BMW 3/15PS e deixando cair o nome Dixi.

    bmw-dixi-04.jpg
     
  5. Parece-me uma inocente manipulação dos factos por motivos de marketing.
    A BMW é para 99.9% das pessoas uma marca de carros não uma marca de motores de aviões, pessoalmente descobri isso hoje, o inicio do século passado pouco me diz a nível de tudo.

    Com ou sem manipulação, falseando ou enaltecendo os factos com um bocadinho de exagero, a marca bávara vai continuar a ser uma das mais vendidas e das que melhores produtos coloca no mercado, não precisa propriamente de inventar muito, aquele círculo branco e azul vende-se a ele mesmo.
     
    Pedro Pereira Marques gostou disto.
  6. Bem, é uma confusão. Vá lá que pelo menos eram motores de aviões e não cortinados ou bolas de berlim.

    Em relação aos automóveis e não contando com o Austin sob licença, o primeiro carro Bmw construído e projectado qual foi? O 303 de 1933? Se assim for, como marca AUTOMÓVEL, só fará 100 anos lá para 2033.
     
    João Luís Soares gostou disto.
  7. Independentemente de não ter começado por ser uma marca dedicada aos automóveis, a BMW deve ser, presentemente, uma das marcas da indústria automóvel que mais recorre aos seus veículos classicos em campanhas de marketing e isso, para além de ser algo que deve ser salientado por si mesmo, significa que é uma marca que sabe valorizar aquilo que produziu no passado.
     
  8. As marcas vão construir a narrativa que no momento considerarem adequada, independentemente de esta ser mais ou menos aproximada à realidade.

    A Skoda já foi acusada do mesmo há uns anos.

    O "marketing" explicado a putos reguilas

    No início dos anos 80 o curso de design de comunicação tinha o primeiro ano em comum com os de pintura e escultura e os alunos só optavam no segundo ano. Por esse motivo fui aluno deste Senhor;
    Domingos Pinho – Wikipédia, a enciclopédia livre

    Um dia mestre Domingos Pinho encontra a sala onde ia dar uma aula de pintura numa anarquia de total em termos de arrumação e limpeza. Visivelmente aborrecido prega-nos um sermão durante o qual afirma "o meu atelier está sempre tão limpo e arrumado, que até poderiamos comer no chão"...

    Vai dai o "je" em jeito de puto récem saído do liceu que se acha engraçado e com futuro no meio publicitário replica em tom provocarório; "ó professor, mas isto assim tudo desarrumado com materiais e pinceladas espalhados por todo o lado não lhe parece uma anúncio da "Talens"?"

    A Talens era à época e se calhar ainda hoje, o Rolls Royce da tintas para pintura artistica; Royal Talens

    O mestre Domingos Pinho, olha-me nos olhos e com toda a calma responde; "Acha que eu quero dar aulas no cenário de um anúncio da Talens? Diga-me lá uma coisa, quando bebe uma cerveja também lhe aparece a "gaja boa" do anúncio?"

    Carrega Granja. Resposta à medida e uma grande lição.


    Quero com isto dizer que uma coisa é a realidade e outra as narrativas que as marcas criam.

    Por vezes as narrativa coincide com a realidade do produto e os valores reais da marca, um exemplo;
    Hot-Wheels.jpg

    Mas cada vez é amais difícil, por exemplo para vender um Fiat 500, que no fundo é um Panda com uma carroçaria que é um cartoon do 500 original, tem de se inventar e muito.

    BMW tem ainda um problema maior. A grande maioria das pessoas que adquirem um BMW, fazem-no pela valorização social que marca proporciona. No entanto as razões admitidas publicamente são sempre porque tem qualidade alemã, é seguro, fiável, amigo do ambiente e um longo etc. A BMW sabe disso mas não o pode dizer e os clientes sabem disso mas não tem coragem de o assumir. Isto implica uma gestão da comunicação entre a marca e os clientes com pinças.

    Por vezes (poucas) dizem a verdade.
    Tenho pena de não ter cópia, mas já vi um anúncio ao Z8 da BMW USA.Tinha com fundo uma foto do carro durante um "sunset" à beira mar (com surfistas e tudo) e condutor, um rapaz bem parecido falava com umas "babes" ainda mais bem parecidas que aparentavam um enorme interesse no tal rapaz.
    O "headline" era este;
    "Sejamos honestos, se não fosse por causa das mulheres, andávamos todos de Yugo"

    Nos US o Yugo é (ou era) visto como o patamar zero da motorização.

    Outro exemplo, a SAAB continuou a sugerir o DNA aeronáutico, mesmo quando já eram Opels travestidos;
    sabb-turbine-add.jpg

    nuno granja
     

    Ficheiros Anexados:

    #8 nuno granja, 22 Abr 2016
    Última edição: 22 Abr 2016
  9. O 500 é um Panda.
     
  10. Já corrigi.

    Já agora não há um Mercedes (classe A) que tem como base um Dácia?

    nuno granja
     
    Pedro Pereira Marques gostou disto.
  11. Estou a gostar, estou a gostar!!!

    Excelente Nuno!
     
    nuno granja gostou disto.
  12. E não há Mercedes com motor Renault? No entanto continua a ter muito mais pinta estacionar um Classe A que um Mégane, a mesma lógica do status, mesmo que por baixo da maquilhagem a exclusividade não esteja lá.
     
  13. HI
    A esmagadora maioria das empresas que hoje fabricam carros (atenção que não digo "marcas"), começaram por produzir outras "coisas".
    No caso dos "alemães" é ainda mais "complicado" por causa das guerras ...

    Depois algumas "jogadas de marketing", apoiadas na idade, transformam o "GmbH" - (GmbH – Wikipédia, a enciclopédia livre) em "AG" (Aktiengesellschaft – Wikipédia, a enciclopédia livre).
    Apesar de serem juridicamente empresas distintas, no exemplo que dou, e como se acrescentou, antecedendo AUDI, a "coisa" até parece muito antiga.

    Isto é só mais um exemplo de "classicismo pretensioso" de algumas marcas ...
     
  14. Independentemente da (im)precisão nas datas, a BMW é detentora de uma excelente imagem. A Mercedes tem por sua vez uma imagem ainda mais forte e por isso não acho que a resposta "cínica" da Mercedes a este Spot da BMW tenha sido feliz.

    À Mercedes bastava ancorar-se no seu historial invejável e não precisava entrar em comparações implícitas...isso parece-me que seja "guerra" para outros emblemas...
     


  15. No fórum Mercedes que frequento, encontrei isto!
     
  16. Por acaso ontem à noite, acho que essa publicidade passou na televisão quando estavamos a jantar.
    Eu nem estava a olhar atentamente.
    Não é que o meu puto de 14 anos me diz:
    "Oh pai, esta publicidade é da Mercedes, mas a grelha que apareceu no início é da BMW"

    :blink:
    Agora percebi depois de ver este tópico!
     
  17. Se a Bmw faz 100 anos agora ou daqui a 30 anos, isso que interessa? Bicada deveria levar a Mercedes por se sentar no alto da sua reputacao e andar a vender gato por lebre!! Isso de vender carros com corações franceses, não dá com nada. A verdade é que faz " comichão " a Mercedes e aos fãs de Mercedes e mesmo aos fãs de outras marcas, que actualmente cada produto que a tal " be he me" lança seja um sucesso, de tal forma que as ditas marcas premium tem que pedalar muito para acompanhar.... ( então nós 6 cilindros gasolina para não falar no gasóleo tem que pedalar muito mais).
    Eu como admirador da marca , se continuarem a lançar produtos a gasolina como tem lançado pois festejarei os 100 anos agora ou daqui a 20 ou 30 anos sem problemas nenhuns:)
     
    Pedro Pereira Marques gostou disto.
  18. O que é que interessa? Sei lá, mas foi a Bmw que deu o mote para esta conversa. Ou melhor dizendo: se fossem mesmo 100 anos interessava, mas como se calhar não é bem assim agora já não interessa? Temos que ser coerentes...

    Se a marca Bmw encarar os clientes dos seus carros como encara o público alvo desta publicidade, então é mau sinal. A honestidade é uma coisa que tem que ser levada em conta. Ainda recentemente foi a Volkswagen a enganar tudo e todos, ainda mais recente a Mitsubishi com os dados falsos dos seus eléctricos e agora a Bmw com esta publicidade... é sinal que os tempos estão a mudar e as marcas não olham a meios para terem lucro. Antigamente o objectivo era agradar o cliente, hoje o objectivo é enganar o cliente mas de maneira a que o mesmo não se aperceba!

    Em relação ao que referiste dos Mercedes e dos motores Renault, estás apenas a apanhar 2 ou 3 anos de uma marca que já conta com bem mais de 100, ou seja referes uma parte da história que corresponde a uma ínfima parte da mesma. Aliás, não é só a Mercedes, a própria Renault já carrega bem mais de 100 anos! Os Bmw também nasceram como Austin e um dos modelos mais populares da marca foi o Isetta. O M1 era projecto Lamborghini e muitos dos primeiros Bmw (anos 30) tinham assinatura Touring Milano (para serem bonitos). Todas as marcas já tiveram co-produções e alianças com outras e hoje em dia, tendo o lucro como objectivo máximo, ainda mais exemplos desses existem.

    Os Bmw são hoje em dia um sucesso? São sim senhor, e agora tenho que parar de escrever, porque... estou com comichão e vou-me coçar todo!!!

    Se ainda estivermos vivos, aqui festejaremos os 100 anos da Bmw!!! Até lá!!
     
    #18 Pedro Pereira Marques, 23 Abr 2016
    Última edição: 23 Abr 2016



  19. Bem ......
    O que essa "marca" fez à "Isetta" .............. será que já pagaram os "direitos de autor" ???

    Mas não é só esta "marca" (balde de massa ..... :lol::lol: ) .... há mais .... e por estarmos a falar de marketing .... lembram-se de uns anúncios que passavam na TV tuga e referiam os seus carros como "Das Auto" ?? ......
    pois é, mas esta designação é muito velha e era usada (internamente) por quem ????
    Pois ... mais uma vez ..... pela "Mercedes" :eek::eek:
     
    #19 Guilherme Bugalho, 23 Abr 2016
    Última edição: 23 Abr 2016
    Pedro Pereira Marques gostou disto.
  20. Tenho que acrescentar que esta dúvida surgiu-me ante-ontem depois da visita á colecção Schlumpf, ver tópico:

    Musée National/Collection Schlumpf

    Este museu integra uma colecção vasta de automóveis de várias marcas, tendo como base a época que vai até anos 40/50. Sabem quantos Bmw tem por lá? Nenhum...

    Juntando esta realidade á publicidade que a Bmw anda a fazer, pensei para comigo próprio: "será verdade?" e daí surgiu este tópico.
     
    Hugo Viana da Silva gostou disto.
Código de Verificação:
Rascunho Salvo Rascunho removido

Partilhar Página